facebooklixo

Eliminei a conta no Facebook e a Internet não acabou

Sim, eliminei a conta no Facebook com a mesma facilidade com que no passado eliminei a conta no hi5, no MySpace ou que deixei de utilizar o MSN Messenger e o mIRC. A diferença é que os utilizadores do Facebook encaram a decisão de quem decide encerrar a conta como se fosse um virar de costas aos ‘amigos’.

Ao contrário das plataformas anteriores, torna-se necessário explicar que não foram eliminadas amizades, que não se está zangado com ninguém, que uma pessoa não passa a ser anti-social porque abandona um canal de comunicação e, acima de tudo, mostrar que há mais internet para além do Facebook, um facto que parece ser desconhecido para muitos utilizadores.

Quando criei a conta, no início de 2009, o Facebook era de facto uma rede social, onde as pessoas interagiam com elevação, sentido de humor e vontade de partilhar conhecimento. Hoje é uma tasca cheia de ruído. Uma mistura de publicidade, futilidade, ódio, ignorância, estupidez e onde sobra já pouco espaço para a informação e partilha de ideias de forma inteligente. Um lamaçal onde só o acto de fazer login passou a ser uma perda de tempo.

Os interessados em seguir o meu trabalho, as informações e as sugestões que partilho podem fazê-lo aqui, como sempre aconteceu, mesmo antes do surgimento do hi5, Facebook e Twitter.

Por falar em Twitter, aproveitei e coloquei também um ponto final na utilização desta ‘rede social’ que um dia foi a minha preferida, onde fiz amigos, obtive contactos profissionais, troquei ideias e onde existia um sentido de humor peculiar, em 140 caracteres. Mas acabou. À semelhança do Facebook, a massificação de utilizadores trouxe um conjunto de gente que polui tudo por onde passa, acabando por afastar quem realmente interessa seguir.

Fui dos primeiros em Portugal a utilizar estas ‘redes sociais’, incentivei muita gente a criar perfis, mas agora não dá mais. Para uma boa saúde mental, há que estar longe dos imbecis que acham que sabem tudo e que confundem estupidez e insulto com liberdade de expressão.

Os Amigos nunca precisaram do Facebook ou do Twitter para falar comigo porque sabem onde estou e têm os meus contactos.