A matemática continua a ser um problema para grande parte dos estudantes, as médias não são satisfatórias e é dado a entender que não há nada a fazer para alterar esta realidade. O que parece é que existe pouca vontade ou falta de talento para mudar a forma como se ensina matemática.

Eu fui um daqueles estudantes que, a certa altura do meu percurso escolar, comecei a considerar a matemática extremamente chata, desinteressante e sem qualquer utilidade. O problema é que não percebia qual a aplicação prática de determinados conceitos e fórmulas no mundo do trabalho. Quem tinha a responsabilidade de explicar limitava-se a despejar mais e mais exercicios em que apenas mudavam os números, os livros apenas serviam para complicar e cada aula era mais cinzenta que a anterior.

O insucesso e o abandono escolar são, em grande parte, o resultado da forma como a matéria é transmitida. Algo que não acontece apenas na matemática. É tudo muito formal, muito teórico e pouco motivador.

Se a forma de transmitir a matéria fosse baseada em exemplos práticos e num ambiente mais descontraído, certamente que a motivação dos alunos seria maior e, como tal, o insucesso escolar seria residual.

Há quem esteja empenhado em tornar divertida a aprendizagem da matemática e, o mais importante, são jovens estudantes que o estão a fazer através das ferramentas tecnológicas que hoje têm à disposição.

Quero aqui destacar o trabalho da YouTuber ‘Mathgurl’ (Inês Guimarães)… sim porque há quem esteja a produzir conteúdos para o YouTube muito interessantes e educativos.

Os vídeos da Inês Guimarães são o exemplo de que algo aparentemente complexo quando transmitido numa aula cinzenta, afinal é extremamente simples, se for explicado com exemplos práticos e até divertidos, ao ponto de despertar novamente o interesse pela matemática a alguém que saiu da escola há 20 anos. Vídeos que podem ser um incentivo para quem é estudante e para os professores que estejam dispostos a fazer diferente, para que os alunos tenham sucesso.

Sigam a Mathgurl no YouTube e comprovem… 


Há um livro também a sair.